Terror

[Resenha #187] Carmilla: A Vampira de Karnstein – a Pequena Obra Prima do Terror de Sheridan Le Fanu

Postado em Atualizado em

carmillaEste pequeno volume de 96 páginas, R$33.00, publicado pela Via Leitura traz apenas uma única história, a de Carmilla: A Vampira de Karnstein, escrita por Sheridan Le Fanu. Publicada originalmente de 1871 até 1872 em formato de folhetim numa revista literária. Essa história, Carmilla, só influenciou um certo Bram Stoker na criação de um tal de Drácula (publicado originalmente em 1897). Apesar da fama maior de Drácula, Carmilla, além de ser anterior, é a melhor transposição do mito (o mais originário possível) do vampiro da tradição oral para a literatura de todos os tempos. E sim, já falei sobre essa história na resenha de Creepy Volume 4, embora tenha frisado que, na adaptação para os quadrinhos, muito da história em prosa ficou de fora. Mas vamos ao livro.

Leia o resto deste post »

Anúncios

[Resenha # 183] Creepy Volume 4 pela Devir – De volta à Velha Kripta

Postado em Atualizado em

creepy4Desaconselhável para menores de 18 anos!?
Mesmo?
Com tanto terror e violência reais nos jornais ou mesmo fictícios nos cinemas disponíveis até para crianças. Cada um de vocês, pais, mães e responsáveis, que leia e decida.

Contextualizando: lembram da revista Kripta da RGE? Verminosas criaturas pestilentas, rastejantes, insaciáveis, sádicas, abomináveis e asquerosas certamente lembrarão. Famosa revista de terror que circulou no Brasil e que, entre 1976 e 1981, trazia material originalmente publicado nas revistas Creepy, Eerie e Vampirella da editora de James Warren. Estas revistas tiveram seus direitos fragmentados; hoje, nos EUA, Creepy e Eerie estão com a Dark Horse e a bela Vampirella com a Dynamite. Lembrando que a vampira alienígena mais linda do universo passou por várias editoras ao longo do tempo.

Leia o resto deste post »

Garimpando Em Gibiterias: Vertigo Especial 1, 2 e 3 pela Panini

Postado em Atualizado em

vertigoesp1As pedras de hoje são desaconselháveis para menores de 18 anos!

O mercado de quadrinhos no Brasil é muito fraco, sejamos honestos. Lá fora, grandes obras permanecem em catálogo permanente tal como livros clássicos. Os editores de quadrinhos nacionais são bem imediatistas e até mesmo obras como Watchmen e Maus ficam difíceis de encontrar de tempos em tempos. A série “Garimpando em Gibiterias” fala de quadrinhos que valem a pena “garimpar” em gibiterias, sebos, estoques antigos de livrarias virtuais, feiras de livros e, se a grana estiver muito curta, em bibliotecas públicas. Sim, existem quadrinhos em bibliotecas públicas, é só procurar.

As pedras garimpadas de hoje são Vertigo Especial 1, 2 e 3 da Panini por vários autores. Mais uma vez trago mais de uma edição. Mas essas valem. A Internet está abarrotada de postagens sobre a história maior da Vertigo, logo, não falarei sobre o selo em si, mas sobre estas 3 edições e seus conteúdos.

Leia o resto deste post »

[Resenha #166 ] Contos Macabros: 13 Histórias Sinistras da Literatura Brasileira de Nove Autores Consagrados

Postado em Atualizado em

cmLivros que trazem contos de vários autores, por mais temáticos que sejam, sempre mostram tonalidades diversas. Alguns trazem muitas palavras para pouca história, outros, muita história em poucas palavras, raros são os escritores que conseguem equilibrar informação e texto, mas certamente de algum estilo de escrita, você, leitor, gostará. Porém, nesse tipo de livro, seria injusto que eu comentasse dois ou três contos e deixasse o resto para lá. Afinal, não se trata de um livro de contos de um único escritor, que, por mais que varie, sempre manterá alguma uniformidade. São nove autores, e mesmo os menos conhecidos devem ser mencionados. Claro, alguns contos são tão pequenos que o comentário terá de ser menor ainda para não estragar a leitura, mas, ao menos uma menção a cada texto deve ser feita.

Leia o resto deste post »

Garimpando Em Gibiterias: Almanaque Contos da Madrugada #01

Postado em Atualizado em

almanaqueCMEis que me cai nas mãos uma edição de quadrinhos nacionais de terrir de 2010. O Almanaque Contos da Madrugada #01, um ilustre perdedor do troféu HQ Mix. Esta edição surgiu quando o editor, Felipe Meyer (será ele parente de uma certa escritora?), estava com preguiça de editar o zine Contos da Madrugada #03. Logo, a solução foi recauchutar, digo, republicar algumas histórias da Contos da Madrugada #01 e 02 no Almanaque Contos da Madrugada #01. Isso mesmo, e essa história foi colocada como história em quadrinhos dentro da edição em questão. Pode se considerar que é a história inédita da edição. Ela acontece em vários momentos entre as republicações.

Leia o resto deste post »

Projeto Mulheres Perigosas Conto a Conto: Parte 19 – Sombras Nas Florestas do Inferno de Brandon Sanderson & Parte 20 – Vizinhos de Megan Lindholm

Postado em Atualizado em

MPRodrigo Rosas Campos

Sempre Lembrando

O livro como um todo é desaconselhável para menores de 18 anos.

Há uma versão digital de Mulheres Perigosas, a menos que você queira muito o físico por este ou aquele conto, ou que você seja um colecionador de tudo o que se refere a Crônicas de Gelo e Fogo, vale mais a pena comprar o e-pub.

Mulheres Perigosas é um livro de contos de vários autores, organizado e editado por George R. R. Martin e Gardner Dozois. Foi publicado no Brasil pela Leya/Omelete, em 2017 com 736 páginas, 21 histórias, 21 autores. Cada conto é uma história diferente. Esqueça as donzelas em perigo, todos trazem mulheres como protagonistas fortes e ativas.

Leia o resto deste post »

[Matéria] São Paulo dos Mortos 3 Ganha o 29° Troféu HQ Mix na Categoria de Melhor Publicação Independente de Grupo

Postado em Atualizado em

SPM3Antes de mais nada, parabéns a todos os outros ganhadores das demais categorias!

São Paulo dos Mortos 3 foi financiado pelo Catarse, depois do sucesso dos dois volumes anteriores. Este ano, Daniel Esteve e sua brilhante equipe de desenhistas, arte-finalistas e o capista ganharam o Troféu HQ Mix na Categoria de Melhor Publicação Independente de Grupo.

A resenha de São Paulo dos Mortos 3 já foi publicada por aqui (junto com as duas edições anteriores), mas tendo em vista a ocasião, ela está republicada abaixo com ligeiras mudanças. É um quadrinho que vale a pena e não é necessário a leitura dos anteriores para entender o terceiro volume.

Leia o resto deste post »

Projeto Mulheres Perigosas Conto a Conto: Parte 15 – Cidade Lázaro de Diana Rowland & Parte 16 – O Nome da Fera de Samuel Sykes

Postado em Atualizado em

MPRodrigo Rosas Campos

Sempre Lembrando

O livro como um todo é desaconselhável para menores de 18 anos.

Há uma versão digital de Mulheres Perigosas, a menos que você queira muito o físico por este ou aquele conto, ou que você seja um colecionador de tudo o que se refere a Crônicas de Gelo e Fogo, vale mais a pena comprar o e-pub.

Mulheres Perigosas é um livro de contos de vários autores, organizado e editado por George R. R. Martin e Gardner Dozois. Foi publicado no Brasil pela Leya/Omelete, em 2017 com 736 páginas, 21 histórias, 21 autores. Cada conto é uma história diferente. Esqueça as donzelas em perigo, todos trazem mulheres como protagonistas fortes e ativas.

Os contos não são resenhados na ordem em que aparecem, mas na ordem que eu for lendo; o livro tem uma introdução geral e uma pequena biografia por autor antes dos respectivos contos. Todos os textos foram publicados originalmente nos EUA em 2013.

Leia o resto deste post »

Projeto Mulheres Perigosas Conto a Conto: Parte 11 – O Inferno Não Tem Fúria de Sherilynn Kenyan

Postado em Atualizado em

Rodrigo Rosas Campos

MP

Finalmente, chego ao décimo primeiro conto lido desse livro de 21 histórias diferentes. Agora só faltam mais 10 e a contagem regressiva começa. Já adianto, o de hoje é muito bom mesmo!

Leia o resto deste post »

Projeto Mulheres Perigosas Conto a Conto: Parte 8 – Raisa Stepanova de Carrie Vaughn & Parte 9 – Lutando Com Jesus de Joe R. Lansdale

Postado em Atualizado em

Rodrigo Rosas Campos

MPAntes de Continuar

Antes de continuar, quero deixar bem claro que: a minha ideia original era fazer um post por conto, entretanto, apesar dos contos terem em média 20 páginas cada, há muito diálogo e muita descrição em cada um deles, logo, pouca história para muitas páginas. Se eu comentasse mais do que dois parágrafos sobre a maioria destes textos, eu entregaria os finais. Isso não é uma crítica negativa, é apenas uma característica da maioria destes autores.

Leia o resto deste post »