Brasil

[Resenha #127] Garota Siririca de Love Love 6

Postado em Atualizado em

gsNão aconselhável para menores de 16 anos.

Está escrito no próprio livro que ele é desaconselhável para menores de 16 anos, mas, para evitar o mimimi de quem tampa o Sol com a peneira, sei que vocês estão aí, e a pior censura é a autoimposta, amplio para 18 anos. Também é desaconselhável para gente fresca ou preconceituosa. Se você se reconheceu, pare de ler essa resenha agora e volte para seu mundinho limitado e desatualizado.

Leia o resto deste post »

Anúncios

[Matéria] São Paulo dos Mortos 3 Ganha o 29° Troféu HQ Mix na Categoria de Melhor Publicação Independente de Grupo

Postado em Atualizado em

SPM3Antes de mais nada, parabéns a todos os outros ganhadores das demais categorias!

São Paulo dos Mortos 3 foi financiado pelo Catarse, depois do sucesso dos dois volumes anteriores. Este ano, Daniel Esteve e sua brilhante equipe de desenhistas, arte-finalistas e o capista ganharam o Troféu HQ Mix na Categoria de Melhor Publicação Independente de Grupo.

A resenha de São Paulo dos Mortos 3 já foi publicada por aqui (junto com as duas edições anteriores), mas tendo em vista a ocasião, ela está republicada abaixo com ligeiras mudanças. É um quadrinho que vale a pena e não é necessário a leitura dos anteriores para entender o terceiro volume.

Leia o resto deste post »

[Resenha #103] KM Blues: Um Texto Teatral Para Quadrinhos

Postado em Atualizado em

Kmblues Não, Daniel Esteves não adaptou um roteiro de teatro, ele escreveu um roteiro de teatro que achou artistas no lugar de atores (e diretor) e papel e tintas no lugar de palco e cenógrafo. KM Blues é uma edição de 104 páginas, em cores, formato americano, uma história completa e extras legais. Textos do (já citado) Daniel Esteves; arte de Wandersom de Souza e cores de Wagner de Sousa, KM Blues é uma história em quadrinhos que narra a história de um homem que busca reconciliar-se com as pontas soltas de seu passado.

Leia o resto deste post »

[Review] Quadrinópole #08: Um Mix de Autores Nacionais

Postado em Atualizado em

Recomendado para maiores de 18 anos. Contém equadrinhopoles8rotismo e violência!

A revista Quadrinhópole foi uma publicação independente de quadrinhos que trazia um mix de escritores e ilustradores nacionais em cada edição. Durou apenas 9 edições aos trancos e barrancos, apesar de várias parcerias de peso entre seus colaboradores. Sua história e legado podem ser conferidos no site oficial da revista (https://quadrinhopole.com).

Leia o resto deste post »

[Resenha#89] RPG Mighty Blade – 3ª Edição

Postado em Atualizado em

MB3ed

RPG é um jogo de interpretação de personagens, onde a interpretação de todos conta uma história feita coletivamente. Mighty Blade é um sistema de RPG de temática medieval, espada, magia e fantasia, criado por Tiago Junges. Sua 3ª Edição também conta com os autores Domênico Gay e Luciano Abel. Este RPG, 100% nacional, é editado e vendido pela Coisinha Verde. O cenário oficial de Mighty Blade é Drakon. O título do livro é o nome da espada mágica única mais poderosa de Drakon, só existe uma Mighty Blade em todo aquele mundo. Entretanto, utilizando as regras do sistema Mighty Blade, o mestre pode adaptar qualquer mundo de fantasia medieval, criar seu próprio mundo medieval de espada e magia ou mesmo, eliminando a parte mística, fantástica e mágica, jogar num cenário de idade média historicamente realista.
Leia o resto deste post »

[Review] Zumbis e Outras Criaturas das Trevas

Postado em Atualizado em

Desaconselhável para menores de 18 anos.
zumbisetc
    Confesso que estou em débito com os quadrinhos nacionais. Prefiro americanos e franco-belgas, me julguem. Mas lendo São Paulo dos Mortos 1, 2 e 3 tive a dica de Zumbis e Outras Criaturas das Trevas. A edição é um verdadeiro intensivo de quadrinhos de terror brasileiros.
Leia o resto deste post »

[Resenha#86] O Beijo No Asfalto

Postado em Atualizado em

obeijonoasfalto O Beijo no Asfalto é uma das mais polêmicas e conhecidas peças de Nelson Rodrigues. Se passa na década de 1960, quando foi encenada pela primeira vez e hoje, em plena era da informação instantânea, das redes sociais e do cyber bulling, é mais atual do que nunca.

Arandir presencia um atropelamento. O último desejo do atropelado moribundo é um beijo na boca. Não há tempo de chamar outra pessoa e Arandir beija o homem para realizar-lhe o seu último desejo.

Mas havia um repórter no meio da multidão, o beijo foi fotografado e virou notícia nos jornais. Desde então, a vida de Arandir, casado, pacato cidadão típico, vira um inferno de difamações e calúnias.

Leia o resto deste post »