[Resenha # 205] Gatos Espaciais: Um Jogo de Contar Histórias por Fábio Silva e Cezar Capacle

Postado em Atualizado em

GatsEspsJá no subtítulo de Gatos Espaciais temos a melhor definição possível de RPG, ou seja, um jogo de contar histórias. Gatos Espaciais é um RPG desenvolvido para crianças a partir de 10 anos, mas com um cenário capaz de agradar a muito marmanjo gateiro (ou dono de cachorro ou qualquer outro animal de estimação) que queira apresentar um sistema novo com cenário próprio para a gurizada. Ou simplesmente que goste da ideia de interpretar gatos e outros bichos em aventuras no espaço numa pegada que pode lembrar, de forma satírica, tanto Jornada nas Estrelas (Star Trek) quanto Guerra nas Estrelas (Star Wars) ou Perdidos no Espaço no melhor estilo desenho animado. Onde jogadores e mestres podem interpretar inclusive versões de seus próprios e respectivos bichos de estimação.

O cenário do jogo é a Animaláxia, uma galáxia distante, no futuro ou no passado, onde os animais falam e vivem aventuras no espaço. Uma premissa simples, com uma história bem construída e cheia de bom humor. O sistema do jogo também foi pensado para que Gatos Espaciais pudesse ser um primeiro RPG para um público a partir dos 10 anos. Basicamente, crianças não precisam de um adulto para narrar (mestrar) ou jogar (interpretar personagens jogadores). É um RPG com a proposta de formar público novo de fato.

Tudo o que é preciso para jogar Gatos Espaciais é o livro, um grupo, papel, lápis, borracha e marcadores; comida para o lanche também é importante. O sistema usado é um derivado do Fate com modificações desenvolvidas especialmente para o cenário do jogo. Assim como o Fate, esta variante criada para o livro possui licença aberta, mas não usa dados. No lugar dos dados há (pelo menos) 9 marcadores iniciais que são distribuídos para cada jogador. Estes marcadores podem ser qualquer coisa, feijões, círculos ou quadrados de papel, tampinhas de refrigerante, botões de roupas etc. Também haverá um marcador que será usado na ficha do grupo de jogadores, no centro da mesa.

O livro é bem explicativo e didático em relação à mecânica do jogo e ao modo como ela interage com o cenário proposto e sua história. Qualquer um que ler o livro estará apto a narrar/mestrar ou jogar, ser um mestre/narrador ou um jogador/personagem. Exemplos e uma aventura pronta esperam o mestre iniciante. Muitos conselhos aos futuros mestres se aplicam inclusive para qualquer sistema de RPG. O livro vai muito além de ensinar o futuro mestre a criar NPCs e cenários para o jogo específico.

Também ensina a criar um personagem jogador com um exemplo bem didático e simples. O jogador pode ser um gato, um cachorro ou qualquer outro bicho que queira, qualquer bicho mesmo. Cada personagem tem uma ficha e o grupo possui a ficha coletiva, a planilha de determinação do grupo. Esta planilha de determinação do grupo seguirá os jogadores do início até o fim da campanha e é o centro da mecânica do jogo e da mesa.

Além disso, apresenta a possibilidade de criação de novos planetas para a Animaláxia. A criação dos personagens, tanto para o mestre quanto para os jogadores, é bem livre e interpretativa; se o jogador tiver lido o livro todo, poderá até propor um planeta específico para o seu bicho para o mestre incluir na mesa. Mas se a proposta do mestre e dos jogadores for substituir o cenário e manter o sistema, recomenda-se, mesmo, que todos no grupo tenham lido o livro inteiro.

rascGEresLK

A regra da determinação do grupo é fundamental para a proposta do jogo. Usar a regra de ouro para retirá-la ou alterá-la é, praticamente, mudar de sistema, ainda que se mantenha a temática de bichos antropomorfizados no espaço. O sistema de Gatos Espaciais foi construído com base no Fate, mas não é genérico, ou seja, nem todo cenário se encaixará na proposta específica de Gatos Espaciais.

Voltando ao cenário, seu tom é bem cartunesco, o livro aconselha que o mestre ajuste o tom da aventura de acordo com as idades dos jogadores, isso caso o mestre seja mais velho ou mesmo um adulto. Em todo caso, um conselho a qualquer um que deseja ser mestre de RPG (criança ou adulto, tendo a idade que tiver) é definir com os jogadores qual é o tom que a aventura terá, e isto está no livro. Afinal, RPG é um jogo de contar histórias coletivas, o grupo ganha quando consegue contar uma história coletiva coesa e divertida para todos e, em se tratando de RPGs em geral, o grupo aqui é o mestre e os jogadores.

A história real dos bastidores deste jogo é triste. Seu autor, Fábio Silva, encontrou dois gatos seriamente machucados. Criou o jogo como uma forma de ajudar nas despesas do tratamento deles, daí a ênfase do título ser nos gatos. Criou uma primeira campanha no Catarse e o livro foi inicialmente publicado só em arquivo digital PDF. O excedente do tratamento dos gatos foi para ONGs que tratam de animais de rua, em situação de abandono. Houve uma segunda campanha, também com o livro só em formato PDF e, somente na terceira campanha, a editora Pluma Press trouxe a versão impressa do livro. Parte dos lucros do livro (impresso ou digital) vai para uma ONG que cuida de animais.

Assim sendo, Gatos Espaciais contou com uma rede de apoio de vários donos de animais de estimação, não apenas dos gateiros. No jogo, o jogador pode interpretar qualquer animal, qualquer animal mesmo, menos as pulgas e os carrapatos, inimigos de todos; e os inimigos de todos são exclusivos do mestre.

Mas vamos aos personagens que criei para ilustrar o que pode ser feito. É importante dizer que, aqui, as habilidades sociais interferem mais no desempenho da equipe do que as habilidades físicas dos personagens. Estes personagens jogadores foram pensados para jogar qualquer aventura de Gatos Espaciais, quer no cenário proposto, quer em outro cenário criado na mesa que use a mesma ideia básica e o sistema apresentado. Eles podem ser usados inclusive na aventura pronta do livro ambientada em Animaláxia, mais precisamente no planeta Gorgonzol, A Festa do Rei Rato.

Planilha de Personagem de Gatos Espaciais

Nome: Bravinha
Jogadora: Marcela
Descrição: uma gata brava.

Rápido: +4
Esperto: +2
Forte: +3

Quem sou eu? Uma gata marrenta.
No que sou bom(boa)? Usar minhas armas.
No que sou ruim? Ser sociável e afável.

Façanhas:
Sou mais rápida quando irritada.
Sou mais esperta quando instigada.
Sou mais forte quando desafiada.

Planilha de Personagem de Gatos Espaciais

Nome: Lucky
Jogador: André
Descrição: um cão amigável.

Rápido: +3
Esperto: +2
Forte: +4

Quem sou eu? Um aventureiro.
No que sou bom(boa)? Em fazer amizades.
No que sou ruim? Ser organizado.

Façanhas:
Sou mais rápido quando quero me esconder.
Sou mais esperto quando invento desculpas.
Sou mais forte quando defendo um aliado ou amigo.

Planilha de Personagem de Gatos Espaciais

Nome: Picanha
Jogador: Felipe
Descrição: um gato gordo.

Rápido: +3
Esperto: +4
Forte: +2

Quem sou eu? Um gato piloto.
No que sou bom(boa)? Comer.
No que sou ruim? Fazer dieta.

Façanhas:
Sou mais rápido quando uso as armas de bordo de uma nave.
Sou mais esperto quando piloto uma nave.
Sou mais forte quando preciso de comida.

Planilha de Personagem de Gatos Espaciais

Nome: Molly
Jogador: Rodrigo
Descrição: uma gata cyborg.

Rápido: +4
Esperto: +3
Forte: +2

Quem sou eu? Uma amante da tecnologia de informação.
No que sou bom(boa)? Em tudo que diga respeito a informática.
No que sou ruim? Ser sociável.

Façanhas:
Sou mais rápida quando decifro um código.
Sou mais esperta quando invado um sistema.
Sou mais forte quando desafiada.

Planilha de Personagem de Gatos Espaciais

Nome: Golpe Baixo
Jogadora: Ana.
Descrição: um pug marrento.

Rápido: +2
Esperto: +3
Forte: +4

Quem sou eu? Um guerreiro.
No que sou bom(boa)? Lutar e atirar.
No que sou ruim? Pilotagem, piloto mal.

Façanhas:
Sou mais rápido quando atiro.
Sou mais esperto quando farejo um inimigo.
Sou mais forte quando luto.

Planilha de Personagem de Gatos Espaciais

Nome: Felpuda
Jogadora: Gaby
Descrição: uma gata piloto.

Rápido: +4
Esperto: +3
Forte: +2

Quem sou eu? Um doce.
No que sou bom(boa)? Perceber mentiras.
No que sou ruim? Atirar.

Façanhas:
Sou mais rápida quando manejo minha espada.
Sou mais esperta quando piloto uma nave.
Sou mais forte quando motivada.

Os personagens também vão acumular façanhas e evoluir, ou seja, melhor usar a ficha do jogo como modelo e fazer as anotações em um caderno ou bloco. Sempre lembrando de usar lápis e borracha, pois uma ficha (planilha) de personagem de RPG é dinâmica.

Na planilha de determinação desse grupo de 6 jogadores, o marcador inicia no 6, um ponto de determinação de grupo por jogador. Este marcador poderá subir ou descer a escala de determinação do grupo ao longo da aventura ou campanha.

Ficou confuso? Não se preocupe. Tudo que é necessário para jogar Gatos Espaciais está no livro Gatos Espaciais. É tudo bem explicado e cheio de exemplos.

Para os mais avançados em RPG, o livro também explica sobre a licença aberta do jogo (OGL) e traz referências na Internet para serem consultadas, bem como endereços para o conteúdo do sistema Fate.

Para os que já conhecem, jogam e curtem o sistema Fate, devo repetir: Gatos Espaciais é movido pelo Fate, ou seja, usa uma variante do Fate desenvolvida especialmente para o cenário proposto. Não é o Fate puro e não usa os famosos dados de Fate. Em Gatos Espaciais, cenário e mecânica de jogo estão bem entrelaçados, não é um sistema genérico, embora seu sistema seja uma modificação específica de um sistema genérico.

É possível criar ou adaptar novos cenários para Gatos Espaciais? Sim, mas nem todo cenário se encaixará na proposta do sistema de jogo do livro Gatos Espaciais em que o coração é a regra da determinação do grupo. Sem essa regra, o sistema Gatos Espaciais viraria um sistema generigato… digo, genérico.

Apoiei Gatos Espaciais na campanha do livro impresso no Catarse. Não sei qual será o preço final, mas é fácil achar a Pluma Press através do blog Fate Conexão e nas redes sociais da editora e do autor Fábio Silva.

Enfim, para jogar Gatos Espaciais é preciso ler o livro, reunir um grupo, criar seu bichinho, entrar numa nave e viver altas confusões na Animaláxia com uma turminha do barulho com gosto de sessão da tarde e um bom lanchinho no meio.

Boas aventuras e boas leituras!

Resenha dedicada a Salsicha e Nina.

Rodrigo Rosas Campos

P.S.: Para Saber Mais!

Sobre Gatos Espaciais

Os participantes da campanha do livro impresso foram convidados a entrar em um grupo da Pluma Press e lá há links para aventuras extras de Gatos Espaciais entre outros materiais extras de RPG do sistema Fate.

Para compensar a ausência de uma edição física, os apoiadores das duas primeiras campanhas tiveram acesso a um grupo no Facebook e a muito material extra.

Além de aventuras e histórias que não estão na edição impressa, o cenário de Gatos Espaciais tem versões oficiais para outros sistemas de RPG. São eles:

Gatos Espaciais para Old Dragon, um sistema derivado do d20.

Gatos Espaciais para Savage Worlds.

Gatos Espaciais para Déloyal.

Gatos Espaciais para Tormenta RPG, o cenário de Tormenta com um sistema derivado do d20.

Gatos Espaciais para Travessias.

Gatos Espaciais para Apocalypse Engine.

Gatos Espaciais para 3D&T, meu sistema preferido, também de licença aberta.

Gatos Espaciais para Our Last Best Hope.

Sobre o Sistema Fate

Se você se interessar pelo sistema Fate, pai do sistema usado em Gatos Espaciais, aqui vão umas informações:

Os autores de Fate são Fred Hicks e Rob Donoghue. Ele é originalmente editado pela Evil Hat Productions. É um sistema diferente, genérico e de licença aberta. Há muito material para baixar na faixa. O site oficial é em inglês, mas muito intuitivo com materiais em inglês, espanhol e francês; é muito material mesmo! Confira nos links (http://www.faterpg.com/) e o (http://www.evilhat.com/home/fate-core-downloads/).

Sua maior diferença é o uso de um conjunto de quatro dados de 6 faces próprios, com os sinais +, – e lado liso, que quer dizer 0 (zero/neutro). Mas não se preocupem, nas regras do Fate, há uma conversão para dados de 6 faces normais numerados, onde 1 e 2 são menos; 3 e 4 são 0 (zero); e 5 e 6 são +. Para cada rolagem, são usados 4 dados de seis faces juntos.

Esse sistema já é publicado no Brasil e está em materiais diversos que foram publicados por aqui, além de ser a base da mecânica de Gatos Espaciais.

Sobre Cuidar de Bichos Abandonados

Agora o mais importante: cuidar de bichos abandonados também é cuidar de pessoas. Animais abandonados podem ser vetores de doenças em seres humanos inclusive. Se você não quer ter o trabalho e os gastos de ter um bicho, não compre, nem adote, mas não seja um irresponsável que abandona um animal. O descuido destes tratantes para com os bichos é um descuido para com toda a sociedade.

4 comentários em “[Resenha # 205] Gatos Espaciais: Um Jogo de Contar Histórias por Fábio Silva e Cezar Capacle

    […] Gatos Espaciais é um RPG desenvolvido para aventuras no espaço, no melhor estilo Jornada nas Estrelas, Flash Gordon, Guerra nas Estrelas etc., além de trazer um cenário próprio e completo em estilo desenho animado satírico de ficção científica com bichos antropomorfizados. Mas isso não significa que não possamos fazer outros tipos de cenários com o sistema de jogo, um de super-heróis bichos por exemplo. […]

    Curtir

    […] Gatos Espaciais é um RPG desenvolvido para aventuras no espaço, no melhor estilo Jornada nas Estrelas, Flash Gordon, Guerra nas Estrelas etc., além de trazer um cenário próprio e completo em estilo desenho animado satírico de ficção científica com bichos antropomorfizados. […]

    Curtir

    […] Quase esqueço, outro RPG de temática espacial é o Gatos Espaciais. […]

    Curtir

    […] Entre os cocriadores do sistema, estão Cezar Capacle, coautor de Gatos Espaciais, e Tiago Junges, da Coisinha […]

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s