[Resenha#88] Humor e Síntese nas Histórias Sem Data do Bruxo do Cosme Velho

Postado em Atualizado em

historiassemdata

Rodrigo Rosas Campos

Já falei sobre esse livro em uma das tags do Literakaos e em uma matéria de como fiz as pazes com esse brilhante escritor. Hoje, resolvi escrever sobre Histórias Sem Data, meu livro preferido dele.

Todos nós tivemos que ler, por livre e espontânea pressão, pelo menos um dos romances mais conhecidos de Machado de Assis; Memórias Póstumas de Brás Cubas, Dom Casmurro, Helena ou Quincas Borba. O que nossos queridos professores de literatura fingiam ignorar é que Machado de Assis, vulgo, o bruxo do Cosme Velho, era um contista e cronista bem-humorado e que suas histórias curtas, seus contos e crônicas, eram infinitamente melhores, mais interessantes, universais e, por que não dizer, mais atuais que seus romances.

Para os que duvidam da atualidade dessas histórias, os filmes Se Eu Fosse Você 1 e 2 foram tirados de Academias de Sião. Já foi anunciado um filme com base no conto A Igreja do Diabo. Esse conto também serviu de premissa para a série da Rede Globo Vá de Retro. A Igreja do Diabo usa o pano de fundo religioso para falar da contradição dos seres humanos, sua atualidade consiste no modo como as religiões, hoje, concorrem por adeptos como se fossem empresas de entretenimento concorrentes. A fé virou uma briga para conquista de público pagante no final do século XX e nesse início do XXI.

Não vou falar de todos os contos aqui, o motivo vocês verão no final desse texto, mas vamos a algumas pinceladas: Cantiga de Esponsais guarda um brilho de esperança na predominante desesperança de Machado; Noite de Almirante é uma bem-humorada história de desilusão amorosa. Aliais, bom humor, risos culpados e ironia ácida são marcas constantes das histórias curtas de Machado de Assis neste e em outros livros.

Isto posto, depois que li este e outros livros de contos de Machado de Assis acabei relendo e gostando de Memórias Póstumas de Brás Cubas, Dom Casmurro e Quincas Borba.

A edição usada nessa resenha foi das Obras Completas de Machado de Assis pela editora Globo de 1997. Por um lado, o desdém injusto com o qual nossos queridos editores tratam esse livro torna qualquer uma de suas edições difíceis de encontrar até em cebos e bibliotecas; por outro, toda a obra de Machado de Assis, incluindo Histórias Sem Data, pode ser baixada gratuitamente nos endereços dos sites a seguir: Domínio Publico (http://www.dominiopublico.gov.br); Fundação Biblioteca Nacional (www.bn.br ou http://bndigital.bn.br/); Machado de Assis (http://machado.mec.gov.br).

E eis o motivo pelo qual não falo sobre mais contos desse livro, vocês podem tirar suas próprias conclusões gratuitamente. Fazer as pazes com o bruxo do Cosme Velho não custa nada MESMO!

Boas leituras e até breve!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s