[RESENHA#60]Nas Montanhas da Loucura

Postado em Atualizado em

NMLHPL.jpg
Howard Phillips Lovecraft, ou H. P. Lovecraft como é mais conhecido, ficou famoso pelas histórias de terror cósmico. Bem verdade que, seu reconhecimento só veio depois de sua morte, mas o universo que ele escreveu influenciou tudo na cultura pop posterior: quadrinhos, cinema, televisão, RPGs etc. direta ou indiretamente. Sim, você já conhece suas ideias, só não sabe que ele é a fonte.

            No mundo de Lovecraft, magia é ciência (e tecnologia) que ainda não compreendemos. Com efeito ao longo dos quatro contos do livro Nas Montanhas da Loucura e Outras Histórias de Terror, o autor menciona constantemente Einstein e sua teoria da relatividade para explicar os fenômenos sobrenaturais. A propósito, é esta a edição que será resenhada aqui. Publicada pela L&PM em 2015.

            LOVECRAFT, Howard Phillips.  Nas Montanhas da Loucura e Outras Histórias de Terror.  Porto Alegre: L&PM, 2015.

            Os contos que aparecem no livro são: Nas Montanhas da Loucura (p. 7, que dá o título ao volume); A Casa Maldita (p.165); Os Sonhos na Casa da Bruxa (p. 204); e O Depoimento de Randolph Carter (p.258), nessa ordem. Todos os contos foram traduzidos por Marcio Hack e não achei o nome de quem selecionou estas histórias específicas, mas está de parabéns quem quer que seja!

            Nesta resenha, falarei de cada conto em uma ordem própria, deixando o melhor, Nas Montanhas da Loucura para o final. Até por que, eu não li os contos na ordem e, você, leitor ou leitora, também não precisa ler na ordem certa se não quiser.

            A Casa Maldita é um conto que inicialmente apresenta uma casa assombrada comum. Ao investigar a causa de tais assombros, os investigadores se deparam com um vampiro clássico da literatura, de um tipo anterior ao próprio Drácula de Bram Stoker inclusive. Todavia, na visão Lovecraftiana, até este tipo de vampiro, mais originário, poderia ser explicado pela física quântica. Acredite quem quiser, e quem duvidar que vá ler, temos aqui o conto que deu origem as armas da série de filmes Os Caça Fantasmas. Até ouvi a musiquinha enquanto lia.

            Os Sonhos na Casa da Bruxa, o mais cansativo dos quatro contos, sim, cansativo mesmo. Gilman é um personagem desinteressante, estudante de matemática que quer ir além do conhecimento que seus mestres podem passar. Utiliza o livro proibido Necronomicon para ter uma compreensão mais abrangente do espaço e do tempo. Descobre que o preço que terá de pagar por esse conhecimento e por alcançar a quarta dimensão não será barato. Em resumo, ele fica com medinho! O que acontece com ele? Não vou dizer. Se o leitor ainda tinha dúvidas de que todas as histórias de H. P. Lovecraft se passavam num mesmo mundo (universo), este conto explicita que todos os escritos deste autor estão relacionados direta ou indiretamente. Mas não se desesperem, cada conto de Lovecraft é uma história fechada que não não obriga a leitura nem de histórias anteriores, nem posteriores.

            O autor sabia usar bem as referências, elas estão lá para os que as puderem ver, mas não são pré-requisitos de compreensão. Em cada texto, tudo o que é importante para aquele texto está lá.

            O Depoimento de Randolph Carter é uma aparição do Necronomicon sem que este seja nomeado. O personagem-título é, ironicamente, um dos personagens que menos enlouquece, mas sua sanidade em nada o ajudará. Ele tem plena consciência de que: ou irá para uma prisão, ou para um manicômio judiciário. Afinal, ele só acredita no ocorrido, por tê-lo vivido e testemunhado. E você, acreditará no depoimento dele?

            Nas Montanhas da Loucura é a história de uma expedição à Antártica que amarra todos os elementos da história de Cthulhu. Gosta da série de cinema iniciada por Alien, o Oitavo Passageiro? É esse o conto que serve de fonte para aquelas ideias. Apesar de ser o mais longo dos contos, é o mais divertido, tendo momentos de comédia involuntária e prazer culpado inclusive. Com efeito, é a melhor história para quem nunca leu Lovecraft começar.

            Tudo interligado, terror cósmico, lembra Arquivo X? Pois é!

            Lovecraft criou o primeiro universo compartilhado da história da literatura, permitindo que outros autores usassem seus personagens e cenários já na época em que publicava sua obra em revistas pulp originalmente. Até hoje são feitas histórias que expandem o universo de Cthulhu, Necronomicon e companhia. Se o leitor quer conhecer este autor, este pequeno volume de bolso da L&PM é uma excelente pedida, boa, bonita e barata, para uma primeira leitura.

            Boas leituras!

Rodrigo Rosas Campos

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s