[TAG#12]Livro Versus Adaptação para o Cinema etc.

Postado em Atualizado em

Pois é, resolvi fazer, eu mesmo, outra tag, para eu, a Ana e a Gaby respondermos.

Como essa tag tem esse tema polêmico e, para nós leitores de verdade, muitas vezes revoltante, ela será curta, talvez a mais curta de toda a Internet.

Vamos então:


1) Qual adaptação de livro para o cinema deveria levar tanto os atores quanto todos da equipe técnica (produtores, diretor etc.) para a cadeia, prisão perpétua? Ou seja, qual adaptação de livro mais te revoltou e por quê?

Rodrigo – Eu, Robô de Isaac Asimov foi avacalhado por uma quadrilha em que o ator principal foi Will Smith, que nunca deveria ter saído de seriadinhos de TV. O filme reafirma o complexo de Frankenstein que Asimov tanto combateu. Não tem nada a ver com o livro que é uma obra-prima da ficção científica.

Ana – Eu, você e a menina que vai morrer. Porque o livro já era ruim, mas não satisfeito, o autor foi lá e produziu um filme e conseguiu deixar pior do que o livro que ele mesmo escreveu… Serio… Muito Fail…

Gaby – As Brumas de Avalon. Nem sequer Anjelica Huston salvou esse filme que para muitos é um clássico, mas não me conquistou. Só consegui assistir aos 10 primeiros minutos e desisti. Logo no inicio, percebe-se que o diretor tentou adaptar o 1º livro de 252 páginas em apenas 5 minutos, descaracterizando toda trama e suas personagens. Não posso opinar mais porque não terminei de assistir e nem irei kkkkkkkk


2) Agora o oposto. Qual livro você leu (ou abandonou), mas prefere o filme? Ou seja, qual livro você acha tão ruim que achou o filme 1000 vezes melhor?

Rodrigo – Vou me repetir. Muitos, mas fico, especificamente, com Drácula de Bram Stoker. O filme dirigido pelo Coppola é infinitamente melhor. Stoker apresenta a perspectiva de vários personagens menores, menos as perspectivas do vampiro e do caçador; um dos pontos máximos é a viagem de navio de Drácula do continente até a Inglaterra narrada pelo capitão do navio. Quando Lucy, a mulher que tinha decidido ser vampira ao lado do conde, morre, pouco antes da metade do livro, vemos que a Myna é uma histérica pedante que não sabe o que quer, que o vampiro é só um cara que não tem medo de chegar junto e que o caçador e seus assistentes são só um bando de cornos covardes. Todas as metáforas se desfazem e eu abandonei a leitura. O filme do Coppola tem a dose certa de infidelidade ao dar voz ao Drácula e ao Van Helsing. Fora que o livro deixa claro que, com todos aqueles poderes e aliados, o Drácula só perdeu porque o escritor quis. Stoker não me convenceu de que o Drácula era uma ameaça ao mundo e, se fosse, que ele teria perdido a batalha. Se bem que, para implicar com a Ana e mantendo a minha verdade, qualquer coisa escrita pelo King é melhor em filme que no original. Desculpe, Ana, gosto de viver perigosamente. Huahahahahaha!

Ana – Vou responder a mesma coisa. Eu você e a garota que vai morrer. O filme é tão rui que o livro passa a ser uma maravilha….

Gaby – “As Vantagens de Ser Invisível” tem o filme tão bom quanto o livro. Não odeio o livro, pelo contrário, achei as duas formas de serem apresentadas ótimas.


3) O que você tem a dizer para alguém que gostou do livro que vai virar filme ou que está em cartaz?

Rodrigo – Se gostou muito do livro, fique longe do filme.

Ana – Tenha sempre a mente aberta.

Gaby – Não crie expectativas sobre o filme, lembre-se que é uma “adaptação” da obra literária e que, mesmo hoje com tantos recursos disponíveis, nem tudo que está no livro é possível adaptar.


4) Oposto. O que tem a dizer para alguém que gostou do filme e descobriu que era baseado em livro?

Rodrigo – Se gostou muito do filme, fique longe do livro.

Ana – VIADO!!!! Corre e vai ler o livro!!!!!

Gaby – Leia o livro! Com certeza você descobrirá uma nova visão sobre a obra e detalhes (ou diferenças) que só a literatura permite explorar, como aconteceu comigo em A Culpa é das Estrelas. Acabei gostando muito mais do livro do que do filme.


5) Qual livro você gostaria que virasse filme, mas têm medo de se decepcionar com a adaptação? 

Rodrigo – Nenhum, quero proteger todos os livros que gosto e amo!

Ana – Olha, acho que todos porque sempre tem uma cagadinha ou outra quando um livro é adaptado….

Gaby – A Morte da Luz de George R. R. Martin daria um ótimo filme de ficção científica, mas tenho certeza de que muitos elementos importantes não poderiam ser adaptados às telonas e muitas coisas da estória seriam mudadas, decepcionando os fãs mais assíduos desse aclamado autor.


Em resumo, a coisa, geralmente, é inversamente proporcional. Ama o original, odiará a adaptação. Odeia o original, amará a adaptação. Meios termos ficam nos meios termos.

Boas leituras!

Equipe LiteraKaos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s