[TROCA DE FIGURINHAS-ANA#1]Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley

Postado em Atualizado em

1023640-250x250
Título: 
Admirável Mundo Novo
Autor: Aldous Huxley
ISBN: 9788525046611
Ano: 2009
Páginas: 398
Editora: Globo de Bolso
Informações: Skoob goodreads
Compre aqui: Submarino / Saraiva / Cultura 

Sinopse: Ano 634 d.F. (depois de Ford). O Estado científico totalitário zela por todos. Nascidos de proveta, os seres humanos (pré-condicionados) têm comportamentos (pré-estabelecidos) e ocupam lugares (pré-determinados) na sociedade: os alfa no topo da pirâmide, os ípsilons na base. A droga soma é universalmente distribuída em doses convenientes para os usuários. Família, monogamia, privacidade e pensamento criativo constituem crime.
Os conceitos de “pai” e “mãe” são meramente históricos. Relacionamentos emocionais intensos ou prolongados são proibidos e considerados anormais. A promiscuidade é moralmente obrigatória e a higiene, um valor supremo. Não existe paixão nem religião. Mas Bernard Marx tem uma infelicidade doentia: acalentando um desejo não natural por solidão, não vendo mais graça nos prazeres infinitos da promiscuidade compulsória, Bernard quer se libertar. Uma visita a um dos poucos remanescentes da Reserva Selvagem, onde a vida antiga, imperfeita, subsiste, pode ser um caminho para curá-lo. Extraordinariamente profético, “Admirável mundo novo” é um dos livros mais influentes do século 20.


Bem, esse está sendo meu primeiro livro nessa “Troca de Figurinhas”, e eu tive a sorte de ter Admirável Mundo Novo como indicação do Rodrigo.

Sorte porque esse ano eu já tinha como meta ler todos os livros de distopia que são clássicos na literatura estrangeira, que, a nível de curiosidade, são eles : Laranja mecânica (Anthony Burguess), 1984 e A Revolução dos Bichos (George Orwell),  Fahrenheit 451 (Ray Bradbury) e o nosso resenhado de hoje, Admirável Mundo Novo (Aldous Huxley).
Agora, falta-me apenas o Fahrenheit 451, mas deixemos esse assunto para outro dia….

“- Ao Processo Bokanovsky – Repitiu o diretor, e os estudantes sublinharam essas palavras nos seus cadernos.
Um ovo, um embrião, um adulto – é o normal. Mas um ovo bokanovskizado tem a propriedade de germinar, proliferar, dividir-se: de oito a noventa e seis germes, e cada um destes se tornará um embrião perfeitamente formado, cada embrião, um adulto completo. Assim se consegue fazer crescer noventa e seis seres humanos em lugar de um sói, como no passado. Progresso”

Eu sempre achei esse tipo de literatura meio “cult” demais, inteligente demais para minha humilde sabedoria, então, sempre, no inicio de cada um deles, eu sento certo receio de não entender nada, do livro ser chato, de ser uma leitura arrastada e blá blá blá. Com Admirável Mundo Novo, não foi diferente!

No início, ficou meio confuso saber quem era o personagem principal. O Autor nos introduz a uma narrativa dinâmica, onde a cada paragrafo, fala um personagem diferente e se não tiver prestado atenção, você se enrola todo porque, o que faz diferir um do outro, são detalhes citados pelo próprio personagem. Chega ao ponto de em certo momento, cada parágrafo ter uma frase e cada frase ser de um personagem diferente e tudo acontece incrivelmente rápido!

“Um dos principais instrumentos da estabilidade social.
Homens e mulheres padronizados, em grupos uniformes. Todo o pessoal de uma pequena usina constituído pelos produtos de um único ovo bokanovskizado.
– Noventa e seis gêmeos idênticos fazendo funcionar noventa e seis máquinas idênticas! –  Sua voz estava quase trêmula de entusiasmo. –Sabe-se seguramente para onde se vai. Pela primeira vez na história. – Citou o lema planetário: – ‘Comunidade, identidade, estabilidade’. – Grandes palavras. – Se pudéssemos bokanovskizar indefinidamente, todo o problema estaria resolvido.”

Aldous nos apresenta a essa sociedade totalmente diferente onde tudo que hoje em dia, achamos vergonhoso, imprudente, infame, é o normal, aceitável e saudável para eles.  A sinopse logo a cima não deixa muita brecha a novas informações sem muito spoiler, mas, posso citar que quando Bernard, que até então, parece ser o personagem principal, vai de encontro a “Vida Selvagem”, encontra mais um personagem.Melhor dizendo, encontra O Personagem.

John nos é apresentado quase que no meio do livro e é nesse momento que eu fiquei na duvida… Lembram-se da minha indagação sobre quem era o personagem principal? Eu achei desde o Inicio que fosse Bernard, mas, passeando na internet, e lendo outras resenhas sobre o livro, li que era John o personagem principal. Fiquei na dúvida, pois, como é possível o personagem principal aparecer no meio do livro?
Tudo meio confuso não é mesmo?

Conhecemos alguns personagens de maneira profunda, dando esse leve nó na cabeça, mas ao final do livro é possível distinguir quem é o personagem principal e essa surpresinha eu vou deixar para vocês lerem e descobrirem por si só!

tumblr_lmpi47kirt1qip9db

O livro mexeu comigo. Hora eu sentia pena, hora eu ficava indignada. Às vezes achava algumas atitudes extremamente irritantes, outras loucas ao máximo. Omissões, excesso de informações, descobertas e ao mesmo tempo, a encoberta de fatos importantes… O conflito entre o científico e a poesia, o lírico, o onírico, e  a erudição, a doutrinação. O conflito de dois mundos com um final difícil de se resumir.

“O lar, a casa – algumas peças exíguas, onde se apinhavam, de maneira sufocante, um homem, uma mulher periodicamente prolífica, um bando de meninos e meninas de todas as idades. Falta de ar, falta de espaço; uma prisão insuficientemente esterilizada; a obscuridade, a doença, os cheiros…
E o lar era tão sórdido psíquica quanto fisicamente.
Do ponto de vista psíquico, era uma toca de coelhos, um monturo, aquecido pelos atritos da vida que nele se comprimia. Que intimidades sufocantes, que relacionamento perigoso, insensato, obsceno, entre os membros do grupo familiar! Insanamente, a mãe cuidava de seus filhos (seus filhos)… cuidava deles como uma gata cuida de seus filhotes… mas como uma gata que falasse, uma gata que  soubesse dizer e repetir uma e muitas vezes: ’Meu filhinho, meu filhinho!…’ E ainda: ‘Meu filhinho, oh, oh, ao meu seio, as mãozinhas, a fome, este prazer indescritivelmente doloroso! Até que, finalmente, meu filhinho dorme, meu filhinho dorme com uma bolha de leite branco no canto da boca. Meu filhinho dorme…’
– Sim – disse Mustafá Mond, meneando a cabeça  –, e natural que os senhores estremeçam.”

Acho que todos esses clássicos distópicos deveriam ser leitura obrigatória em todas as escolas. São leituras que abrem nossos olhos e nos ajudam na formação de caráter. Ao menos a meu ver.

Admirável Mundo Novo é uma leitura muito envolvente, rápida e surpreendente. Tudo aquilo que eu não esperava de algo tão “cult”, linguagem super tranquila e nada que dê um nó no seu cérebro! Maravilhoso para adolescentes! Com certeza, meu filho vai ler quando estiver mais velho….

A minha edição foi a de bolso da Editora Globo, mas existem várias versões disponíveis no mercado. Não sei dizer se esse diferencial é apenas na versão de bolso, mas o livro vem com um prefácio de Aldous quase 20 anos após o lançamento da obra, mostrando seu ponto de vista mais maduro, após esse intervalo. E ao final, um suplemento de leitura com várias perguntas, sugestões de estudo e redações, o que eu achei muito interessante.

Fui super sortuda nesse primeiro “Troca de Figurinhas”!
E que venham os próximos!!!

Ana Souza-NEO-000

Anúncios

20 comentários em “[TROCA DE FIGURINHAS-ANA#1]Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley

    feyano disse:
    16 de agosto de 2016 às 13:18

    Olá!!

    Eu estou me aventurando pelos distópicos clássicos, apesar de ter esse receio de ser “cult” demais para mim.
    Já li A revolução dos bichos e Fahrenheit 451, que foram excelentes leituras!
    Esse, Admirável mundo novo” está em minha meta e eu adorei me deparar com a resenha dele aqui. Me empolgou muito mais para ler!
    Excelente resenha!!

    bjs
    Fernanda
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    Curtido por 1 pessoa

    Mary Reis disse:
    17 de agosto de 2016 às 09:07

    Então eu tenho esse livro aqui em casa eu adoro distopias assim que abrir uma brecha eu encaixo ele pq esses livros que necessitam de uma atenção maior eu prefiro ler com tempo amei a resenha.
    Bju

    Curtido por 1 pessoa

    devidandrade123 disse:
    17 de agosto de 2016 às 09:16

    Oi Ana
    Que legal que foi uma leitura tão positiva. Ainda não li esse livro, mas tenho vontade, porque é um clássico das distopias e esse é meu gênero Literário favorito.
    Adorei descobrir que a construção dos personagens e tão bem feita e a leitura tão envolvente. 😍 Fiquei muito mais curioso com sua resenha.

    Abraços
    David
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com.br/

    Curtido por 1 pessoa

    Thatyane Alvarenga disse:
    17 de agosto de 2016 às 19:20

    Oi, que sorte sua ter esse livro para ler, eu amei ler esse livro, pois ele nos faz refletir sobre varios assuntos atuais da sociedade e nos faz pensar o que estamos fazendo e qual nosso papel na sociedade, nos faz questionar sobre varias coisas. Amei demais ler ele e pretendo relê-lo em breve. Ótima resenha.
    bjus

    Curtido por 1 pessoa

    Livros&Tal disse:
    17 de agosto de 2016 às 19:31

    Oi Ana
    Sua resenha está incrível, eu tenho uma certa dificuldade de ler esse tipo de livros. Gosto muito de distopias, mas tenho um certo problema com clássicos.

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    Curtido por 1 pessoa

    Jess Leite disse:
    17 de agosto de 2016 às 20:57

    Olá!
    Eu ainda não li nenhum desses clássicos 😦 Quero muito ler Admirável Mundo Novo, mas confesso que essa narrativa pode me confundir, rs.
    Gostei de saber que é uma trama envolvente, rápida e surpreendente. Fiquei curiosa sobre quem é o personagem principal.
    Adorei a resenha e espero ler a obra em breve.
    Beijos!

    Curtido por 1 pessoa

    Liziane Goulart disse:
    18 de agosto de 2016 às 11:20

    Oi!!
    Embora tenha achado a história muito interessante não sei se leria esse livro no momento. Gosto de livros que fazem a gente ter vários sentimentos, fazem a gente refletir.
    Beijão!

    Curtido por 1 pessoa

    Gaby Marques disse:
    18 de agosto de 2016 às 16:17

    Oii Ana, tudo bem? Gostei muito da sua resenha, e que bom que gostou tanto do livro! Realmente clássicos assim dão medinho. Eu tentei ler Admirável Mundo Novo ano retrasado, mas acabei estacionando na página 100… diferente de você eu não achei rápido, mas super confuso e desafiador. Infelizmente. Já li Fahrenheit 451 e adorei, espero que goste 😀
    Beijos

    Curtido por 1 pessoa

    Daniela disse:
    18 de agosto de 2016 às 17:01

    Oi. Não vejo a hora de comprar o meu livro, morro de vontade de ler, mas até agora não consegui… Tenho muita curiosodade em relação a ele pelo elogios que sempre vejo da obra. Espero poder ler em breve!

    Curtido por 1 pessoa

    Tatiany Salazar (@Tatiany_Salazar) disse:
    18 de agosto de 2016 às 17:46

    Olá.
    Você disse tudooooo, pensei que eu fosse a única pessoa que pensava dessa forma, pois quando olhei a capa do livro já veio na minha mente, livro cult, muito inteligente para mim kkkkkkkkk.
    Que bom que o livro foi fácil de ler, mesmo com o inicio um pouco confuso, mas se não deu nó no seu cérebro, pode ser que eu tenha sorte de entender também kkkkkk.
    Adoro livros que mexem com nossos sentimentos.
    Adorei a resenha.

    Curtido por 1 pessoa

    Carla disse:
    18 de agosto de 2016 às 21:54

    Oie!
    Sabe que eu tenho disso, de achar que alguns livros são mais do que eu posso ler, rsrs. Esse é um livro que senti isso, pois para mim, eu era burra demais para ler rsrs Mas não vou acrescentar o livro na lista agora.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    Curtido por 1 pessoa

    Licavargas disse:
    19 de agosto de 2016 às 00:47

    Sorte receber um livro na troca de figurinhas que já estava na lista,né? Mais ainda quando acaba sendo uma boa leitura….
    Eu não sou a maior fã de distopias, então elas demoram para me conquistar. Isso aliado ao fato de ter a mesma sensação que você – de que a história é meio cult – acabo sempre deixado passar as oportunidades…. Mas ainda quero ler Laranja Mecânica – e de preferencia a edição linda de capa dura que saiu em comemoração aos 70 anos.
    Achei o detalhe da edição que você leu interessante – ainda mais para um livro de bolso, conter a visão do autor 20 anos depois e questões para questionar e refletir o que se leu é um ponto mais que positivo!!!!
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    Curtido por 1 pessoa

    Larissa Oliveira disse:
    19 de agosto de 2016 às 11:05

    Oi!
    Dessas distopias clássicas eu, vergonhosamente, li somente A Revolução dos Bichos. Tenho muita curiosidade em ler os demais mas sempre me enchi com os receios que você citou e acabo lendo algo mais comum à minha rotina de leitura. Felizmente a sua resenha “abriu meus olhos” e só consigo pensar que tenho que ler esses livros o quanto antes pois são leituras, aparentemente, muito enriquecedoras.
    Beijos!

    Curtido por 1 pessoa

    Vivianne Sophie disse:
    19 de agosto de 2016 às 14:08

    Olá,

    Sempre gostei muito de distopias e por isso fiquei muito interessada nessa. Fico feliz que a obra tenha lhe agradado tanto.

    Abraços
    Cá Entre Nós

    Curtido por 1 pessoa

    BelGoes disse:
    20 de agosto de 2016 às 12:53

    Olá, tudo bem??

    Amo Aldo, confesso que Fahrenheit 451, do Bradbury, não é lá essas coisas, preferi o filme ao livro.

    Feliz demais por ler que você gostou do livro, Admirável é realmente isso admirável.

    bjsss

    Curtido por 1 pessoa

    Catharina Mattavelli Costa disse:
    21 de agosto de 2016 às 21:31

    Oie
    eu com certeza quero ler o livro um dia e espero gostar pois só vejo elogios e parece ser um tema muito legal, adorei a resenha

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    Curtido por 1 pessoa

    Talita Monteiro disse:
    22 de agosto de 2016 às 19:26

    Oi
    eu sou obrigada a dizer que passaria esse livro! Com o tempo corrido e uma pilha de livros (parceiros e compras) só crescendo fica praticamente impossível pegar algo que foge completamente do meu gosto atual, é uma pena, sinto muita falta de alguns livros mais clássicos na minha lista, mas praticamente fechei o que vou ler em 2016, talvez em 2017, quem sabe.

    Curtido por 1 pessoa

    Rafael Botter disse:
    23 de agosto de 2016 às 11:15

    Esse livro está na minha lista de desejados e preciso muito ler. Apesar que agora vai ficar um pouco difícil por conta do TCC. Distopias é um gênero que adoro e muito!

    Curtido por 1 pessoa

    Antonia Isadora de Araújo Rodrigues disse:
    25 de agosto de 2016 às 13:31

    Olá Ana!!!
    Apesar de eu gostar de distopias são poucas aquelas que realmente chamam minh atenção, admito que é a primeira vez que vejo uma resenha sobre “Admirável Mundo Novo” e posso dizer que o livro chamou minha atenção.
    Será que ele está naquela lista dos 1000 livros que você tem que ler antes de morrer?? O.o rsrs
    Adorei sua resenha e fiquei curiosa sobre quem é realmente o protagonista do livro 🙂

    lereliterario.blogspot.com

    Curtir

    [TAG#4]Frases de mãe « LiteraKaos! disse:
    26 de agosto de 2016 às 09:07

    […] e releio até entender, ou vou catar na internet. como foi o caso de Admirável mundo Novo (Aqui). Só descansei quando sanei minhas […]

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s